05/06/2017

"Editoras Nacionais - A RGE" (Parte 1): "Aranhas", "Monstros", e "Mutantes"...

"Editoras Nacionais".... É uma série de matérias que resgatam a trajetória (com pontos altos e baixos) das editoras de quadrinhos mais influentes do mercado brasileiro. Já relembramos aqui a "EBAL" (numa postagem de 2 partes - em 2014) e a "BLOCH" (também dividida em 2 partes - em 2015): Agora é a vez da RGE (Rio Gráfica Editora)!

Nesta 1º Parte... Veremos o surgimento da RGE, várias capas clássicas que marcaram época, e diversas curiosidades sobre o período de maior ascensão da editora (final da década de 70 e início dos 80)!

Confira abaixo (e não perca a "Parte 2" desta viagem pelo "Túnel do Tempo", rs):

A RGE (Rio Gráfica Editora)... Foi fundada em 1952 por Roberto Marinho como parte integrante das Organizações Globo (a corporação na qual se inclui também a Rede Globo de televisão). Porém, o nome "Globo" não podia aparecer por já estar sendo utilizado por uma editora/livraria aqui do sul do país: A "Livraria do Globo" (hoje já falida e substituída por uma loja Renner - mais uma filial entre tantas - no centro da capital gaúcha). Assim, o jeito era manter o nome: "RGE" mesmo (somente em 1986, após uma negociação onde a tal livraria foi comprada, é que a RGE passou finalmente a se chamar: Editora Globo)!

Em seu início na década de 50 a 60, a RGE publicava várias revistas com personagens de tiras de jornal ou HQs de faroeste: bang-bang (gênero que vivia seu auge nesse período em todas as mídias - principalmente o cinema e a TV). Títulos como: "Fantasma" (O Espírito-Que-Anda), "Mandrake", "Flash Gordon", "Recruta Zero", "Cavaleiro Negro", "Riquinho", "Brucutú", "Dick Tracy", "Ferdinando", "Jim das Selvas", "Nick Holmes", "Pafúncio", "Popeye", e vários outros (alguns até já esquecidos pelas novas gerações)!

O "Recruta Zero", por exemplo, teve sua melhor fase de publicações no mercado nacional pelas mãos da RGE: Sua revista mensal durou quase 300 edições (292 pra ser mais exato) entre 1962 e 1986, sem contar inúmeros "Almanaques" e "Superalmanaques" (além do "Hiper Zero": Almanacão de 200 pág). As publicações nessa linha de humor tinham outros bons representantes pela RGE também: "Mortadelo & Salaminho" (que durou 91 edições em formatinho) e o "Condorito" (que infelizmente durou apenas 12 edições - e era muito divertido)!

Na década de 70... A RGE assistia o apogeu da Era dos Super-Heróis nos gibis da concorrência: EBAL e BLOCH dominavam os universos Marvel e DC, ofuscando os personagens de tiras e outros gêneros. Assim, a editora entrou no jogo também e em 1979 adquiria os direitos pra publicação de alguns títulos da Marvel: "Homem-Aranha", "Hulk", "X-Men", e "Os 4 Fantásticos" (tradução que eu sempre achei mais impactante do que "quarteto"). Vários outros heróis Marvel de 2º e 3º escalão (na época) foram parar numa revista-mix: O "Almanaque Marvel" (que trazia: "NOVA", "Mulher-Aranha", "Demolidor", e uns tais de "X-Men" - que a molecada chamava de: "Xis-Mêin", rs)! 

O restante do Universo Marvel ("Vingadores", "Conan", "Cap. América", "Thor", "Homem de Ferro", e "Surfista") era publicado pela Editora Abril (só que isso é assunto pra futura coluna sobre a Abril, é claro)... Mas a RGE emplacou sem querer os tais "X-Men", que ninguém conhecia direito e logo acertou em cheio o paladar dos leitores, a ponto da equipe ter estrelado SOZINHA 3 edições do "Almanaque do Hulk" (nº 7 a 9)! Nessas alturas, as revistas mensais do "Aranha" e "Hulk" eram os carros-chefe da linha Marvel na RGE (falarei mais dessas 2 revistas na "Parte 2" da matéria)!

Mas nem só de humor, tirinhas, e heróis fantasiados vivia a RGE... A editora liderava o gênero TERROR com a revista: "Kripta" (que durou 60 edições e alguns "especiais"). A "Kripta" era em formatinho P&B e trazia material tirado principalmente da "EERIE" americana (que teve 4 Vol. publicados pela Mythos). A "Krypta" teve alguns filhotes pelo caminho: "Vampirella" (que ganhou um especial em formatão) e a "3º Geração": Revista que durou apenas 6 edições e trazia HQs e matérias sobre discos-voadores e outros assuntos do tipo (era assinada por grandes nomes da Marvel: Buscema, Pérez, e até Frank Miller)!  

Até+

PS: E pra quem perdeu (ou quiser relembrar) as matérias anteriores desta coluna sobre "Editoras Nacionais", Aí vão os LINKS: "EBAL" ("Parte 1") e ("Parte 2")... e "BLOCH" ("Parte 1") e ("Parte 2")! Depois das 2 partes da "RGE", as futuras colunas serão sobre: "Abril" e "Panini"!

182 comentários:

  1. Vc poderia ter posto um link das matérias da Ebal e Bloch na sua postagem.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa: Boa ideia... não tinha me dado conta, mas farei isso agora mesmo: Obrigado pela sugestão!

      Abs!

      Excluir
  2. Olá Leo!

    Esse álbum do Aranha eu nunca vi em bancas, mas o filme lembro de assistir no cinema. Na verdade era o episódio piloto e mais um que editaram para parecer filme.

    Por muitos anos eu estava convencido que o Aranha já tinha estreado no cinema, ahhh... como éramos inocentes.

    - - -

    E só fui conhecer a Origem do teioso nessa edição #44.

    - - -

    E que engraçado noticiarem que um "Novo Correio Marvel" estaria sendo lançado também.

    Essa é com certeza a confirmação do sucesso que faziam as colunas de cartinhas.

    - - -

    Um detalhe que muita gente não leva em consideração, é que foi a RGE quem 1º estampou o nome MARVEL no Brasil em 79 com o almanaque por você mencionado.

    SAM foi lançada somente em 1982 junto com Almanaque Premiere Marvel.

    Quer dizer, Marvel sozinho. Pois já tinham saído gibis do Capitão Marvel.

    - - -

    O melhor de tudo é que todos eram facilmente encontrados em sebos e feirinhas, o problema é que, nem quem vendia sabia direito quantas edições de cada título tinham sido lançadas.

    - - -

    Como sempre fui muito ligado no design de capa (sem nem conhecer esse termo), as da RGE à mim sempre chamavam mais atenção do que as da Abril. Nos almanaques dos Aranha e Hulk eles sempre apareciam gigantes! Mas a minhas preferidas eram do Premiere Marvel.

    - - -

    Essa edições da KRIPTA, eu só fui pegar em mãos quando adulto.
    No meu primeiro estágio, conheci um senhorzinho (Seu Ary) que tinha toda a coleção e consegui ler todas, até os almanaques pois o bacana é que ele me emprestava.

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir
  3. Fala , Léo!
    Que nostalgia! Disparada a editora mais marcante da minha infância, pois nasci em 73!

    Curioso, pois os primeiros gibis que comprei em banca foram da DC, pela Ebal (em 78), e com as merrecas da "mesadinha", fui tomando gosto pela coisa..
    Então ao me deparar com os gibis da RGE (Hulk, Aranha, Almanaque Marvel e 4F) em 79, pirei!

    Claro que com o distanciamento dos anos, fica claro que o trabalho feito pela Panini é o melhor (em relação à HQs). Mas do ponto de vista de uma criança, o material lançado pela RGE era ouro puro! Tanto que lamentei muito a interrupção das publicações em 82.
    Gostava da Abril, mas tinha total preferência pela RGE!
    Ainda guardo com carinho, a maioria das revistas de editora. E apesar de não relê-las, não consigo me desfazer das mesmas!

    Afinal, ali tinha tudo que eu queria: revistas solo (Aranha, Hulk e 4F!), além dos Almanaques e Superalmanaques (Aranha)!
    Incluo aí o espetacular Almanaque Marvel, que eu adorava, mesmo sem ter a consciência da definição de "mixes"nas revistas.
    Quem poderia acreditar, atualmente, que o carro chefe era o Nova, e não os XM!
    Ainda tinha DD, Mulher Aranha e Faroeste...
    Confesso que desde que tu começou a fazer estes artigos das editoras, a RGE era a que eu mais aguardava.
    Muito bacana!

    abs.

    ResponderExcluir
  4. Olá Leo, tudo bem?
    Na verdade foram três almanaques Hulk estrelando os X-Men: #7 com Magneto Triunfa, #8 na Terra Selvagem e #9 com o afundamento do Japão.

    Abs., Carlos - São Paulo.

    ResponderExcluir
  5. blz leo?

    eu ainda tenho (todo fudido, sem capa) o álbum do homem aranha da RGE mais não tenho nenhuma HQ. algumas destas capas eu lembro.
    eu achava o nova da hora sem nunca ter lido uma história se quer.
    quando era criança meu sonho de consumo era ter várias edições da RGE.
    tb lembro bem das HQs de terror, tenho um amigo que sempre comprava e acabava vendo as dele, mais isso faz tempo pra caralho e é só uma vaga lembrança (muito boa)

    abraço

    ResponderExcluir
  6. E aí Leo, blz!? Legal está matéria. Os quadrinhos foram apresentados a mim pela Bloch mas foi com a RGE que tive as minhas primeiras revistas. Foram pouquíssimas porque era muito moleque e não tinha grana, rsrs. Se não estou enganado viam alguns brindes pra incentivar a garotada ou os pais que compravam EBAL ou BLOCH a comprar a nova revista. Além da eterna concorrência com a Disney Abril.
    Também curti muito os álbuns de figurinhas, ainda tenho alguns.
    Cara, eram muitos títulos, Sitio, Mortadelo e Salaminho, Além dos heróis e segue relação. Hoje, alguns com anúncios beiram ao absurdo no ML.
    São estes meus preferidos no meu garimpo em sebos, rs. Valeu!

    ResponderExcluir
  7. Ótimas lembranças!!! Eu tinha esse livro ilustrado (mais conhecido por álbum de figurinha) do cabeça de teia... e também chamava os Filhos do Átomo de Xis Mên...

    ResponderExcluir
  8. Esse 3º Geração parece interessante, uma pena que não é mais lançado.

    ResponderExcluir
  9. A antiga Livraria do Globo, com Henrique Bertaso e Érico Veríssimo, contribuiu para a cultura pop publicando vários títulos de "pulp fiction". Que decepcionante saber que a livraria deu espaço a uma loja de departamentos.

    Gosto muito das revistas em preto e branco da Marvel e da Warren, com suas histórias para "leitores maduros" e a pegada meio “pulp” também. Meu primeiro contato com elas (depois de Conan) foi com algumas velhas edições da "Kripta", que sempre chamaram minha atenção pelas capas fantásticas.

    A "3a Geração", pela seleção de artistas e histórias, parece ser muito boa também.

    Quanto às revistas de super-heróis Marvel, gostaria que os colecionadores, se puderem, me confirmassem: pelo que pude perceber, a qualidade gráfica das edições da RGE (ainda que seja inconstante) e das traduções (por não sofrerem cortes) são bem superiores às publicações da editora Abril na mesma época. É isso mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem tanto. A qualidade gráfica era quando muito igual à da Abril - e a Abril fazia cores melhor! As da RGE muitas vezes ficavam escuras demais e não se conseguia ver nada...

      Traduções nada têm a ver com cortes (isso é edição!) e as da RGE eram bem piores! A Tempestade era chamada de Centelha (entre vários outros nomes esquisitos que a RGE inventava), a linguagem dos personagens era inconsistente e havia alguns erros crassos.

      Excluir
  10. Oi Leo!

    Essa é uma das matérias que eu mais aguardava aqui no "Submundo", e só de ver estas capas uma gostosa saudade veio à tona. A RGE foi sem sombra de dúvidas a editora mais emblemática da Marvel no Brasil!

    Embora houvesse esta "divisão' de personagens da Marvel entre A Abril e a RGE, a segunda ficou com a melhor fatia do bolo porque pegou mais personagens, e muitos da Editora Abril só foram estrear depois que a Editora adquiriu os direitos de publicação daqueles que estava na RGE, caso do Conan!

    Deixando de lado as pendengas de publicação, que época saudosa esta, NÃO TINHA COMO A RGE NÃO SER MELHOR NESTA ÉPOCA, porque ela publicava além dos principais da Casa das Idéias, os secundários que estavam estreando de certa forma na época como o nosso querido "Lunar- O Cavaleiro de Prata (tradução invocada para o Cavaleiro da Lua), Nova (este pra mim é a imagem que representa a RGE só de pensar), Mulher Hulk, Satanna, ROM, "O Que Aconteceria Se..." que a editora publicava eram os mais invocados como do clone do Aranha, Dr. Destino herói, etc.

    Isso sem falar do Fantasma, com histórias foderásticas que infelizmente se perderam no tempo e dificilmente serão republicadas por aqui, "Deus que tempo Bom!"

    Até as propagandas da RGE eram mais que legais que da Abril, com as chamadas de Riquinho, Mortadelo e Salaminho, etc.

    Foi numa dessas propagandas da época na revista do Aranha que eu vi uma da Cripta que me traumatizou por um tempo a ponto de dormir com medo e suando frio de com medo da mulher vampira que não era a Vampirella. Eu tinha uns cinco anos nesta época!

    Eu poderia escrever uma monografia exaltando a RGE, e acho que seria pouco.

    Esta capa do álbum de figurinhas do Aranha com imagens do filme e depois seriado era foderástica até mais que as do Hulk (que tinha revista própria principalmente pelo Hype do seriado, mas as histórias dele naquele tempo eram excelentes!), pena que era só a capa porque os filmes e o seriado eram muito ruins, até mesmo para a época, mas era o que tínhamos, e éramos felizes, aliás, muito felizes com o pouco mas excelente que tínhamos!

    Eu tenho uma contracapa na revista do Aranha desta época que é o pôster do filme, e eu adorava porque era ver o herói em carne e osso, já que filmes de heróis naquela eram raros, e o herói só teve sua chance nos cinemas 25 anos depois de seu filme de 1977, em 2002. Aí, de lá pra cá já são três atores encarnando o herói entre altos e baixos!

    No aguardo da segunda parte da matéria!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Olá Leo, falando em Almanaque do Hulk, outro dia descobri que parece que esse almanaque também publicou aqui no Brasil umas tiras de jornal baseadas no seriado de tv do Verdão. Fiquei curioso e até baixei um scan do número 7 pra dar uma conferida. Por um momento fiquei pensando se o seriado do Aranha da mesma época também teve tiras assim, mas é pouco provável, a série teve pouco sucesso e nem foi lançada direito em vídeo ou DVD.

    ResponderExcluir
  12. Da uma saudade ler essas coisas... época em que a preocupação com a história era mais importante que as lombadas ou as capas metalizadas. Quando o mais significativo era ler as historinhas!

    ResponderExcluir
  13. Poxa. Essa é a primeira editora que eu conheci, não sei porque, mas gibis da Ebal eu só fui conhecer muitos anos depois. E o meu gibi favorito foi o Super Heróis Marvel número 1,que eu lia tanto que decorei as falas e os desenhos não saem mais da minha memória. Um gibi inesquecível, com histórias do Hulk, a origem do Nova e do Luke Cage, histórias também dos Defensores, do Billy Blue, Kid Colt, e mais. Nunca mais vi esse gibi, mas felizmente eu pude matar a saudade recentemente, lendo pelo computador, nos scans. Virei um fã do Nova, eu adorava o fato de que ele voava tão rápido, que as pernas dele pareciam sumir, facilitando em muito pra desenhar ele.
    Abraços a todos os amigos do Submundo HQ.

    ResponderExcluir
  14. Do Recruza Zero as melhores eram as nacionais que brilhavam nos almanaques temáticos. As nacionais que seguiam a linha narrativa do tema, intercaladas pelas histórias enlatadas. Muitas edições eram com o tema super-heróis, mas me lembro de terror, cinema, rock, Robin Hood. Qual era o estúdio que produzia essas joias?

    ResponderExcluir
  15. E aí, Leo, beleza? Saiu um livro recente, que eu comprei, chamado "A Trajetória da Marvel Comics no Brasil", que narra com detalhes isso que disseste, mas seu resumão ficou massa (e sem erros, heheh).

    ResponderExcluir
  16. Caramba, esse álbum do Homem Aranha a gente ganhava na saída do colégio. Depois é claro, com o álbum "gentilmente" cedido em mãos, gastávamos as nossas moedinhas com os envelopes de figurinha na banca de revistas ao lado do finado Cine Veneza em Araraquara, o mesmo que dias antes havia exibido essa super mega produção do Espetacular HA...tem personagens nessa galeria Marvel que até hj não conheço. Abraço !

    ResponderExcluir
  17. "Esse álbum do Aranha eu nunca vi em bancas, mas o filme lembro de assistir no cinema. Na verdade era o episódio piloto e mais um que editaram para parecer filme."


    E aí, VAM... blz?

    Eu cheguei a tentar esse álbum do "Aranha", mas nunca completei essa tranqueira, rs... Aliás, eu era fanzaço radical do "Aranha" (graças APENAS ao gibi e ao desenho animado clássico da TV - aquele da musiquinha): O "FILME" (q era mesmo o piloto da TV) eu detestei, pois não tinha a pegada do gibi (e do desenho animado)!

    O álbum eu tentei pq na época era tipo uma febre esse lance de álbuns... e se não me engano, comecei a colecionar ANTES de assistir o tal filme e constatar q era uma bosta completa, rs (acho q foi aí q desisti de seguir adiante com as figurinhas)!

    A única coisa RUIM nas seções de cartas da RGE... Era a palhaçada toda de botarem os heróis pra responder: Se já era RIDÍCULO pra mim (q não passava de um molequinho de 7 anos) imagine pros adultos q tinham q ler aquilo, hein?

    Mas eu adorava tbm as capas da RGE: O logo, a diagramação, as chamadas, a "poluição visual" (porém: com certo equilíbrio)... Tudo era mto legal naquela época (a Abril tbm fazia bonito nas suas primeiras revistas Marvel - da mesma época)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  18. "Que nostalgia! Disparada a editora mais marcante da minha infância, pois nasci em 73!"


    E aí, Victor... blz?

    Olha só q coincidência: Eu nasci em 1972... E embora a minha mãe sempre me comprasse gibis (Disney e afins), o MEU 1º gibi oficial (aquele q eu mesmo comprei em banca pessoalmente - aos 7 anos de idade) foi o "Aranha" nº 7 da RGE:

    Tinha o "Morbius" na capa e trazia aquela saga do aranha com 6 braços (!)... Eu fiquei viciado na hora e fui com a RGE até o fim: Busquei as 6 primeiras ed. em sebos na época mesmo! Assim, da Marvel eu comprava tudo q saía pela RGE!

    E vai dizer... Era mto estranho mesmo o "NOVA" já ter sido o carro-chefe de uma revista q TBM trazia os "X-Men" no mix, hehe: Como a vida dá voltas, hein? Ninguém imaginaria naquela época q os XM se tornariam uma verdadeira febre no mercado nacional, enquanto o "NOVA" (q tava entre os meus heróis favoritos) cairia no ostracismo quase q total!

    No mais... Sei q demorei mesmo pra retomar esta coluna de "Editoras Nacionais": Mas antes tarde do q nunca, né? hehe: E tentarei ser mais ligeiro agora pra encerrar ainda este ano as 2 q faltam: "Abril" e "Panini"! Depois disso, pode ser q eu continue com mais editoras (Mythos, Devir, Pandora, etc)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  19. "Na verdade foram três almanaques Hulk estrelando os X-Men: #7 com Magneto Triunfa, #8 na Terra Selvagem e #9 com o afundamento do Japão."


    Oi, Carlos... Tdo bem?

    Brigadão mesmo pelo aviso: Já arrumei o texto e incluí o 9º "Almanaque do Hulk"... Só me passei nessa, pq fiz esta postagem (em parte) com base no material q eu ainda tenho na coleção (e me falta o nº 9, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  20. "eu ainda tenho (todo fudido, sem capa) o álbum do homem aranha da RGE"


    E aí, gustavo... blz?

    Eu colecionava vários álbuns na época... mas hj não guardei mais nenhum deles (foi tudo pro lixo, rs)!

    Eu fiz esse do "Aranha" mas nunca completei (desisti no meio do caminho pq o filme/seriado de TV era mto ruim)...

    O "NOVA" era mto legal mesmo... as histórias eram boas e os vilões principais dele eram bem bizarros: "Esfinge" e "Diamante" (q tinha uma cabeça de diamante), rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma história do NOVA que ficou marcada, foi o E SE... pessoas diferentes se tornassem "um NOVA".

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. O filme/seriado de TV do Teioso era uma trasheira mesmo, mas de vez em quando nos brindava com a presença de alguma beldade, como a Joanna Cameron (a Poderosa Ísis!) de biquíni...

      https://www.youtube.com/watch?v=z6UBMiHltmI

      Excluir
  21. "Se não estou enganado viam alguns brindes pra incentivar a garotada ou os pais que compravam EBAL ou BLOCH a comprar a nova revista."


    E aí, Wesley... blz?

    Vc está certo, a RGE mandava mtos BRINDES sim... tinha uns adesivos, estampas pra camiseta, e até uns brinquedos (um dos almanaques do "Recruta Zero" vinha com uma arminha q jogava uma seta num alvo pintado com a cara do Tainha)!

    Os almanaques de heróis da RGE tbm traziam jogos e passatempos com personagens Marvel: labirintos, jogo dos 7 erros, ligue os pontos, caça-palavras, etc... eram um "plus a mais" mesmo!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro da edição do Fantasma, cujo brinde era nada menos do que o "Anel da Caveira".

      Dei um socão no meu priminho com ele e tomei uma coça do meu Pai...

      Mas a caveira ficou "decalcada" no braço dele uns dois dias.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Eu comprei esse anel, digo, essa revista! Uma das poucas do Fantasma que li na vida. rs

      Excluir
  22. "e também chamava os Filhos do Átomo de Xis Mên..."


    E aí, Marco Antonio... blz?

    Eu só fui aprender q o certo era "Ékis-Mêin" com aquele desenho animado dos anos 90 q passava na FOX e Globo... Mas eram bons tempos: A gente falava errado mas se divertia, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou do tempo em que "Équis-Mein" era "Xis-Mein"!

      Excluir
    2. Eu aprendi com o desenho, mas não mudei meu hábito. Até hoje é xis-mein. rs

      Excluir
  23. "Esse 3º Geração parece interessante, uma pena que não é mais lançado."


    A revista (3º Geração) era EXCELENTE mesmo... Tinha histórias curtas e fechadas assinadas por: Roger Stern, Gene Colan, Jim Steranko, Frank Miller, John Buscema, George Pérez, Richard Corben, Harlan Ellison, e mtos outros medalhões das HQs!

    Aqui tem as capas e conteúdo completo: http://www.guiadosquadrinhos.com/capas/3-geracao/3%C2%AA002100

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As temáticas e principalmente as capas dessa "3ª Geração" lembram muito as publicações da saudosa Grafipar, tipo "Sertão & Pampas", "Neuros" e a "Próton". Que vieram antes, diga-se.

      Excluir
  24. "Que decepcionante saber que a livraria deu espaço a uma loja de departamentos."


    E aí, Martin... blz?

    A "Livraria do Globo" era praticamente um cartão postal do centro de POA (onde moro)... Era o melhor local da cidade tbm pra se comprar material de escritório e escolar: Lamentavelmente, já fazem alguns anos q ela faliu e botaram uma "Renner" no lugar (como se a cidade precisasse de MAIS uma loja Renner - q já pipocam em todos os shoppings e no próprio centro)! É deprimente isso (sem exagero)!

    Qto à qualidade gráfica e traduções da RGE... na verdade é o contrário: A Abril é q acabava fazendo um trabalho melhor. Por exemplo: A RGE batizou o "Cavaleiro da Lua" de "Lunar - O Cavaleiro de Prata". A série: "O Q Aconteceria SE..." virou apenas: "E Se..." e por aí vai! A impressão tbm não era grande coisa (o papel era bem jornal mesmo) mas era melhor q a BLOCH, por exemplo (toda vida, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada banca, sebo, livraria e loja de disco que fecha é sempre uma tristeza...

      Excluir
    2. Muito me agradava o lettering dos gibis RGE (e da EBAL e da Bloch), além da já citada editoração das capas. Eles sabiam mesmo como vender aquilo pra gurizada.

      Lembro que curtia até as cores "radioativas" que a editora usava. O verde da Mulher-Hulk era quase fosforescente em comparação com o da Abril:

      https://2.bp.blogspot.com/-6Z-IjtRMZdY/WTA5YNm7_PI/AAAAAAAARjI/oIv9YdeNJGoEaeWdWlkzlSkwvow_7VBaACKgB/s0/she-gamma1.jpg
      https://1.bp.blogspot.com/-OBAiXy31688/WTA5YK2q_XI/AAAAAAAARjI/KM178cS6MicDER1jwrwrhqNyxwlggkzNACKgB/s0/she-gamma2.jpg

      Se a Bloch reaproveitava nas suas HQs o restolho da tinta usada na revista Manchete, nem imagino o que a RGE usava, rs

      Excluir
  25. "Isso sem falar do Fantasma, com histórias foderásticas que infelizmente se perderam no tempo e dificilmente serão republicadas por aqui, "Deus que tempo Bom!"


    Oi, Elcio... Tdo bem?

    Reforço suas palavras, amigo: "Q tempo bom"... Comecei minha vida de colecionador pela RGE e minha memória afetiva sempre vai pender mais pro lado dela do q de qq outra editora, rs!

    Deixei pra falar mais do "Fantasma" na 2º parte da matéria (q eu vou tentar botar no ar na próxima madrugada)... Pois o "Fantasma" teve o seu apogeu na RGE mesmo (chegando a ter inúmeros "almanacões" lançados em doses até exageradas, hehe)!

    Imagino o qto devia ser difícil pra Abril competir com a RGE naquele curto espaço de tempo (entre 1979-1982) em q as 2 editoras se revezavam com a Marvel... Pois a RGE tinha justamente os 2 principais heróis do momento: "Aranha" e "Hulk" (sendo q o verdão era a maior sensação do pedaço graças ao mega-sucesso do seriado de TV)!

    E a RGE soube tirar proveito dos 2 personagens... cada um tinha sua própria revista mensal + "Almanaques" (e "Superalmanaques" - no caso do teioso)!

    E a revista "Krypta" era de arrepiar mesmo... Meu tio comprava e eu lia escondido (se a minha mãe me pegasse lendo Krypta eu levaria uma bela duma surra, rs). Mas tinha umas q me faziam ter até pesadelos, tipo uma q envolvia pactos com o diabo e sacrifícios humanos (eu tinha menos de 10 anos e essas coisas eram apavorantes pra qq criança, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lembro do Almanaque do Fantasma, do Superalmanaque do Fantasma e até do HIPERalmanaque do Fantasma! Acho que saíram dois desses, eu comprei todos os que achei na época...

      Também havia uma curiosa revista com artigos, os Arquivos Secretos do Fantasma. Não sei se saiu mais de um número, mas era bem interessante.

      Excluir
    2. Oi, Hunter... Eu tbm comprava todos esses "almanacões" do Fantasma, e cheguei a ter todos esses q vc citou!

      Aliás, do "Fantasma" eu não comprava a revista mensal: Preferia direto os almanaques... Esses do "Hyper" foram só 2 q eu me lembre, e traziam matérias interessantes sobre assuntos gerais (nos moldes do "Alm. Disney")!

      Abs!

      Excluir
    3. Acho que as matérias eram nos Arquivos Secretos, mas já não me alembro bem.

      Tem dois Almanaque antigos (7 e 8 ou coisa assim) que trazem a primeira saga significativa do Fantasma na Suécia, em que ele enfrenta a pirata Princesa Sin. Chegou a ver essa? Era desenhada pelo Georges Bess, que depois ficou muito famoso, e tinha as primeiras cenas de nudez que eu vi em uma HQ. ;-)

      Excluir
    4. Acho que essa preferência pelos Almanacões era um consenso.

      Que mensal fininha que nada!

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  26. "falando em Almanaque do Hulk, outro dia descobri que parece que esse almanaque também publicou aqui no Brasil umas tiras de jornal baseadas no seriado de tv do Verdão."


    E aí, Gerson... blz?

    É verdade sim, os "Almanaques do Hulk" publicavam no mix as tiras de jornal... q eram baseadas no seriado de TV e tinham até aquele repórter: O infame "Sr. Mcgee", rs)! Essas tiras rolaram entre as ed. 3 a 6 do "almanaque" (e do nº 7 ao 9 era SÓ "X-Men" no mix)!

    Os "Almanaques do Aranha" tbm traziam tiras de jornal... Mas não eram baseadas no (péssimo) seriado de TV do aracnídeo e sim: Boas histórias de Stan Lee & John Romita (a panini publicou isso depois em 2 encadernados)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "aquele repórter: O infame 'Sr. Mcgee'"

      O excelente Jack Colvin. Não raro, protagonizava tanto quanto o Verdão e o Bixby. Hoje revejo o seriado só por causa dele. E, claro, pelas DavidBannerzetes - Kim Catrall, Susan Sullivan, Markie Post, Loni Anderson, etc...

      Excluir
    2. Interessante, eu lembro de quando a Panini relançou essas tirinhas anos atrás. Até que não me importaria muito com uma adaptação daquele seriado antigo do Aranha, eu gosto de algumas coisas dele, apesar das muitas bolas fora que ele comete. Tanto que não gosto do quão esquecido ele se tornou.

      Excluir
  27. Não acompanhei essa época, sou de 1985, mas me amarro em ver como as publicações eram antes da Abril consolidar tudo. Imagina o problema com direito autoral se fossem lançar Guerras Secretas ou Desafio Infinito?

    Eu também só aprendi a pronúncia "certa" de X-Men por causa do desenho, mas hoje voltei a falar "Xis-Men" só para tirar onda de coroa...

    E lembro de sempre discutir com os colegas como se pronunciava "Wolverine", se o "w" tinha som de "u" ou de "v". Eu, que se achava o mais esperto, era partidário de falar "Uolverine"... hehe

    ResponderExcluir
  28. "época em que a preocupação com a história era mais importante que as lombadas ou as capas metalizadas."


    Verdade... O perfil do colecionador mudou mto nesse meio-tempo e o conteúdo das histórias passou a ser algo irrelevante pra se emplacar um sucesso comercial hj em dia: Basta repetirem as mesmas fórmulas de mega-sagas, capas e lombadas: e pronto!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "época em que a preocupação com a história era mais importante que as lombadas ou as capas metalizadas."

      Isso que estamos vivenciando considero como uma bolha,
      iremos citar no futuro como "estudo de caso".

      Muita gente entrou nessa como investimento, achando que esse tipo de coleção irá super-valorizar com os passar dos anos, mas aos poucos a ficha tá caindo...

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  29. "Um gibi inesquecível, com histórias do Hulk, a origem do Nova e do Luke Cage, histórias também dos Defensores, do Billy Blue, Kid Colt, e mais."


    Oi, Celso... Tdo bem?

    Eu nunca tive esse gibi impresso (SH Marvel nº 1)... Mas tbm tenho ele em scan agora: E é realmente mto bom (a seleção e o mix são espetaculares)!

    Esse nº 1 era um almanaque com mais de 100 pág... Logo em seguida a revista "emagreceu" pra apenas 50 pág, trazendo em destaque a série: "Marvel 2 em 1" (estrelada pelo "Coisa" e algum herói convidado)!

    O "NOVA" era um dos meus heróis favoritos naquela época: Junto com "Aranha" e "Surfista"... Nunca me conformei de não ter sido republicado ou continuado pela Abril de onde parou na RGE!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo, continuou no GHM da Abril.

      Excluir
  30. "Do Recruza Zero as melhores eram as nacionais que brilhavam nos almanaques temáticos."


    E aí Carlos... blz?

    Era mto bom mesmo o material nacional publicado do "Recruta Zero", hein? Eu comprava tudo do Zero na época: a mensal dele, e todos os almanaques!

    Infelizmente, não tenho mais nenhuma ed. dele pela RGE... Se eu tivesse alguma, certamente eu encontraria ali as informações sobre o estúdio q produzia as histórias (se alguém souber, eu agradeço tbm)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  31. "A Trajetória da Marvel Comics no Brasil", que narra com detalhes isso que disseste"


    E aí, Lierson... blz?

    Pois é, eu tinha interesse em pelo menos dar uma olhada nesse livro... Mas imagino q nem venha pras livrarias físicas, né?

    De qq forma, tá na minha lista de futuras aquisições...

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo, você que tem bom relacionamento com a Tutatis poderia sugerir que eles entrassem em contato com o autor Alexandre Morgado, para quem sabe uma tarde de autógrafos e bate-papel marvelístico.

      Segue a página oficial dele: https://web.facebook.com/Marvel-Comics-A-Trajet%C3%B3ria-da-Casa-das-Ideias-no-Brasil-229718234135852/?ref=br_rs

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Já li, um dia te empresto,quando puder;
      mas mais pro final pega uns erros grotescos de nomes errados (o editor Levi Lopes da Panini, o escritor Joef Loeb) e de repetições de texto ("Em 1986, a Abril lança Elektra Assassina.Em 1986, a Abril lança Elektra Assassina."), o que diminui em muito o valor agregado do livro. Mas fala das Guerras Secretas da Abril, Terra X, as negociações com a Globo pra fazer a Marvel Force...várias e várias coisas.

      Excluir
  32. "Caramba, esse álbum do Homem Aranha a gente ganhava na saída do colégio."


    E aí, Sherlock... blz?

    Essa estratégia dos álbuns era boa mesmo: O álbum vinha de brinde ou era distribuído de graça... e a gente partia pra gastar o q sobrava da mesada em figurinhas, rs

    E agora q vc falou, eu lembrei q nesse álbum do "Aranha" tinha uma galeria de vilões no final (queria ver de novo isso - uma vez botaram pra baixar esse álbum em scans: mas derrubaram o site q fazia isso)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sacanagem... no meu colégio primário não distribuíram. :(

      Mas lembrei agora que durante determinada época já no ginásio, rolava um cineminha.

      Acreditam que assisti ao Fuga de Nova York, pela primeira vez na escola? No final rolou um "sermãozinho" falando como seria nossa Sociedade se o crime se tornasse incontrolável...

      Passou também, um filme do Terence Hill em que ele é Padre e arma um jogo de futebol... Dos Santos vs. Diabos. Mas esse eu não curti não, pois não tinha o Bud Spencer...

      E pessoal que saudade deu agora dos filmes da "Dupla Explosiva"!

      Putz! A gente era feliz e não sabia como!

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  33. "Imagina o problema com direito autoral se fossem lançar Guerras Secretas ou Desafio Infinito?"


    E aí, Guilherme... blz?

    Realmente, na época da RGE ainda não existiam as mega-sagas... Mas teria sido um problemão se as "Guerras Secretas" tivessem saído qdo a Abril e RGE repartiam o Universo Marvel (nem imagino como eles fariam pra resolver isso, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que a RGE teria a opção de lançar primeiro, visto que os personagens medalhões eram licenciados por ela. Caso declina-se aí sim a Abril poderia lançar.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Além disso a cronologia da RGE estava mais avançada, as edições dos personagens da RGE relacionadas com a saga sairiam antes, ou a abril faria sempre maquiagens como em guerra secretas, as minis principais deveriam ser disputadas no tapa mesmo... Até pq alguns personagens estavam no limbo, os licenciadores no Brasil não sabiam quem estava com os diretos e cada editora achava que estava com a outra. Por isso alguns personagens demoraram a aparecer nos quadrinhos de ambas como Vingadores e Namor, chegando ao cumulo de um editor da abril mandar uma carta com nome falso (o JP salvo engano) perguntando como se fosse apenas um leitor sobre a publicação de Vingadores, qd a RGE respondeu na seção de cartas (com direito a um personagem fingindo responder a carta) que eles não tinham o direito a Abril foi ao licenciador provando que a RGE não detinha os direitos e assim passou a publicar alguns personagens como Vingadores, Namor, Conan, Defensores...

      Cesar Leal

      Excluir
    3. Valeu mesmo pelas explicações, Cesar...

      Realmente, faz sentido agora a demora (pela RGE e Abril) em se publicar determinados materiais - principalmente se envolvessem vários heróis misturados (tipo: "Vingadores" e "Defensores")!

      E foi bem-bolada essa estratégia da Abril (a cartinha secreta, hehe)... em q revista será q publicaram essa cartinha fake? (deve ser engraçado ler a pergunta/resposta agora q se sabe a real intenção, rs)!

      Abs!

      Excluir
    4. eu tinha essa carta escaneada, vou ver se ainda encontro e te envio...

      Excluir
    5. Opa, valeu mesmo... se tiver e puder me enviar, eu te agradeço desde já, blz?

      Abs!

      Excluir
  34. Em relação a Kripta, quando mudou para formatinho, logo nos primeiros números, ficou ilegível. Tinha menos que metade do tamanho dos originais americanos, em formato álbum. A arte, cheia de detalhes e minucias, perdia muito com a redução. Não era por isso que eu deixava de ficar fascinado pela revista quando era moleque, principalmente as capas.

    ResponderExcluir
  35. Olá Leo, tudo bem?

    Também curtia Kripta e depois Almanaque Marvel. Não tinha grana na época (ginásio), mas o irmão mais velho de um colega meu era bancário e colecionava. Sempre que ia à casa desse colega eu dava uma folheada na coleção. Quando li a primeira Kripta acho que tinha uns dez anos, e tinha uma história com nudez feminina (seios de fora) e canibalismo - muito fod@. Eu já lia as histórias de terror da Marvel publicadas pela Bloch, mas as da Kripta era um outro patamar.
    Mudando de assunto, recebi hoje a ed. 37 da coleção DC de Graphic Novels e ela está repleta de páginas pretas. Será que alguém tem alguma explicação para a necessidade de encher o encadernado de páginas pretas? Já não curto quando colocam páginas pretas entre histórias, pois acho um desperdício de espaço, mas no caso desse encadernado houve um exagero. O encadernado traz as edições 20 a 25 de Superman & Batman e contém uma galeria de capas (todas as seis) com a página à esquerda em preto e a capa à direita. Depois vem uma página dupla preta antes da história clássica. Depois outra página dupla preta antes dos próximos lançamentos. E para finalizar, mais cinco páginas pretas em sequência. A única página preta justificável é a última pois a história termina em uma página ímpar. Foram desperdiçadas 14 páginas. Alguém teria um palpite do motivo dessa lambança? Sei que não é a primeira edição em que isso acontece, mas parece ser uma exclusividade Eaglemoss.

    Abs., Carlos - São Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É pra galera não reclamar que a edição veio fininha! rs

      Excluir
    2. Não deixa de ser uma boa tática pra se "engordar o leitão", rs...

      Abs!

      Excluir
  36. Gustavo Maycá01/06/2017 17:34

    Leo, off Topic. Estou lendo a mulher maravilha do Pérez e digo: que material show. Eu ainda não tinha lido nada da personagem mas pelo jeito comecei pelo que tem de melhor mesmo, estou encantado. Mas queria te perguntar, já recebeu algum relato de problemas na edição 3 há pouco lançada pela Panini? Minha edição 3 está com várias páginas faltando, que na verdade foram substituídas acidentalmente por páginas repetidas que se encontram no volume. Sera q aconteceu com mais alguém? Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quais páginas seriam essas ??

      Excluir
  37. leo terminou ontem a campanha do ed benes no catarse. (todos os apoiadores vão ganhar um print, poster, marca página e revista com extras)

    ResponderExcluir
  38. "Uma história do NOVA que ficou marcada, foi o E SE... pessoas diferentes se tornassem "um NOVA"


    E aí, VAM... blz?

    Bah, eu adorava essa história... Mas hj em dia não tenho mais ela na coleção: Saiu num "Marvel Premiere" da RGE (e das 6 edições lançadas dessa revista, só tenho 3 hj em dia: Os nº 1, 4 e 6)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  39. "O filme/seriado de TV do Teioso era uma trasheira mesmo, mas de vez em quando nos brindava com a presença de alguma beldade, como a Joanna Cameron (a Poderosa Ísis!) de biquíni..."


    E aí, doggma... blz?

    Isso sim é q eu chamo de CROSSOVER épico: "Aranha & Poderosa Ísis", hehe... Mto legal isso, não sabia q a Ísis tinha aparecido no seriado tosco do aranha (mto menos num bikíni minúsculo, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  40. "Lembro da edição do Fantasma, cujo brinde era nada menos do que o "Anel da Caveira"


    Hahahaha... Esse brinde seria proibido hj pra geração mimizenta por incentivar socos com a marca da caveira, rs (o q convenhamos, era irresistível - todo mundo q botava esse anel tinha vontade de dar um soco em alguém, hehe)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  41. "As temáticas e principalmente as capas dessa "3ª Geração" lembram muito as publicações da saudosa Grafipar, tipo "Sertão & Pampas", "Neuros" e a "Próton". Que vieram antes, diga-se."


    Verdade, doggma... Lembra mto mesmo, hein?

    Eu tentei colaborar e ajudar a financiar o "Projeto Grafipar" (um blog q estava escaneando o material da editora), mas depois de um tempo não obtive mais retorno deles no e-mail pra contato e acho q desistiram da ideia. Meu interesse era na restauração completa da "Maria Erótica" e da "Katy Apache"!

    Pelo menos eu tenho a edição do "Anãozinho do Bordel" (um ÉPICO nacional, rs)...

    Abs!

    ResponderExcluir
  42. "Cada banca, sebo, livraria e loja de disco que fecha é sempre uma tristeza..."


    Pois é, Fábio... Se ainda fechasse uma pra botarem outra no lugar, ainda vá lá:

    Mas na realidade: qdo fecha uma livraria... dificilmente reabre outra depois!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se quiser parar uma hora pra cair em prantos é só ver essa sequência de fotos:

      https://whiplash.net/materias/curiosidades/178016.html

      Excluir
    2. Q depressivo mesmo ver essa sequência de imagens, hein doggma?

      Fico imaginando essas lojas todas no auge das vendas de LPs (hj um comércio marginalizado e obscuro - q ainda junta uma pequena legião de adeptos)... É triste, pq sei o q é passar por isso: Já fui dono de locadora e tive q fechar o negócio pq o VHS saiu de linha e tava perdendo terreno pro DVD (q na época era mto caro pra eu manter na loja)!

      Enfim... uma bela "sessão depressão" há essas alturas da madrugada, rs (3 da matina agora)!

      Abs!

      Excluir
  43. "Lembro que curtia até as cores "radioativas" que a editora usava. O verde da Mulher-Hulk era quase fosforescente em comparação com o da Abril:"


    Bem lembrado, doggma...

    A "Mulher-Hulk" tá RADIANTE na capa da "Marvel Premiere 1", por exemplo... Aliás, q saudade dessa fase dela "selvagem" (era a minha favorita, mas infelizmente ficou pela metade no Brasil e a Abril pulou direto pro Byrne)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  44. "Tem dois Almanaque antigos (7 e 8 ou coisa assim) que trazem a primeira saga significativa do Fantasma na Suécia, em que ele enfrenta a pirata Princesa Sin. Chegou a ver essa? Era desenhada pelo Georges Bess, que depois ficou muito famoso, e tinha as primeiras cenas de nudez que eu vi em uma HQ. ;-)"


    Oi, Hunter... blz?

    Eu lembro sim desse "Almanaque do Fantasma" (era o nº 6), já tive ele na época (nunca me esqueci dessa capa q exala ação)... A história era excelente mesmo (e bem sensualizada em relação aos demais gibis q eu lia na época - na capa mesmo já tem uma palinha do q vem pela frente, hehe)!

    Essa fase dos "almanaques do fantasma" era mto boa... Vou te dizer até q prefiro esse material do q o clássico da Era de Ouro!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que o Almanaque do Fantasma publicava histórias estrangeiras, eu li só os números 10 e 16, que tinham histórias produzidas auqi no Brasil.

      Excluir
    2. Oi, Gerson... blz?

      Na época eu era moleque demais e não sabia diferenciar direito o q era material estrangeiro ou nacional do "Fantasma": Mas lembro q eu gostava mto de todas as histórias dos almanaques!

      Ou seja: gostaria de reler hj esse material produzido aqui... q imagino tenha sido encomendado pra suprir a demanda de vendas (o "Fantasma" era sucesso nas bancas)!

      Abs!

      Excluir
  45. "Acho que essa preferência pelos Almanacões era um consenso."


    Da minha parte, com certeza era, VAM... Sempre fui mais dos "ALMANACÕES" mesmo, rs!

    Tanto é, q lá pelas tantas eu larguqi mesmo as mensais fininhas do "Fantasma" e "Recruta Zero" pra ficar só com os almanacões deles... Com a Disney foi a mesma coisa, e na época larguei as fininhas pra ficar só com o "Disney Especial" e "Almanaque Disney"!

    Abs!

    ResponderExcluir
  46. "O excelente Jack Colvin. Não raro, protagonizava tanto quanto o Verdão e o Bixby."


    Verdade, doggma...

    Esse ator era excelente mesmo: Tanto é, q marcou toda a nossa geração e ainda é lembrado até hj pelo papel do "Sr. Mcgee" (q aliás, eu sempre achei um erro não tentarem reviver no cinema e nas HQs): Ele é o equivalente pro Hulk ao q o "Jameson" é pro Aranha, e o "Dr. Smith" é pra família Robinson, rs!

    É incrível como o cinema hj em dia não consegue captar o espírito e o carisma do elenco do seriado do "Hulk"... O Bill Bixby ainda é o Dr. Banner definitivo pra mim!

    E gostei da lembrança das "DavidBannerzetes", hehe... O Dr. Banner Q VALE tbm tem as suas "Bond-girls", rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  47. "Isso que estamos vivenciando considero como uma bolha,
    iremos citar no futuro como "estudo de caso"


    Tbm acho, VAM...

    Vai ser q nem a "Era Image" (anos 90)... Passados mais de 20 ANOS, hj é um fenômeno q ainda gera estudos e debates acirrados, rs!

    Imagino q as próximas gerações ainda irão falar e relembrar A "Era das mega-coleções com belas lombadas", rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  48. "Leo, você que tem bom relacionamento com a Tutatis poderia sugerir que eles entrassem em contato com o autor Alexandre Morgado, para quem sabe uma tarde de autógrafos e bate-papel marvelístico."


    E aí, VAM... blz?

    A Tutatis não costuma fazer eventos com autógrafos, mas posso falar com eles sim... pode ser do interesse da loja memso!

    QQ coisa, eu tbm posso ceder uma sala do meu curso pré-vestibular pra isso... tenho espaço lá pra palestras e eventos (inclusive com arquibancadas): Mas aí o autor do livro tbm precisaria ter interesse, é claro (nem sei se ele é aqui do sul ou se costuma viajar pelo país pra promover o livro)! Tudo é questão de se conversar!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é de Sampa, conheci no 10º FGDQ. Mas para saber o interesse somente entrando em contato mesmo.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Outra opção pode ser aquele evento de HQ ai no RS esse ano.

      Quem sabe ele não aparece por lá?

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    3. Esse evento q vc fala deve ser a "comic-con" daqui... mas não vou mais lá, pois mudaram o local pra região metropolitana (mto fora de mão pra mim) e sempre foi um evento fraquíssimo pra compra de HQs (q é o q mais me interessa)!

      Abs!

      Excluir
  49. "mas mais pro final pega uns erros grotescos de nomes errados (o editor Levi Lopes da Panini, o escritor Joef Loeb) e de repetições de texto ("Em 1986, a Abril lança Elektra Assassina.Em 1986, a Abril lança Elektra Assassina."), o que diminui em muito o valor agregado do livro."


    E aí, Lierson... blz?

    Valeu mesmo, brother... E puxa, passaram uns bons errinhos de revisão nesse livro, hein? Mas espero q isso não tenha diminuído o prazer da leitura, pois parece bem interessante a abordagem desse período da Marvel no Brasil!

    E q lôco esse "AMÁLGAMA" de editores da Panini, hehe... "Levi Lopes" (seria o Trindade ou do Fernando)?

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contexto: era pra ser o Levi Trindade mesmo.

      Excluir
    2. Hehe... O Editor "2 em 1", rs!

      Abs!

      Excluir
  50. "Acreditam que assisti ao Fuga de Nova York, pela primeira vez na escola?"


    Vc teve mta sorte, VAM...

    No meu tempo de colégio, só me levavam pra ver filmes xaropes pra cacete... Eu já ficava bem no fundão da sala pq sabia q ia pegar no sono vendo aquelas chatices, rs!

    Quem me dera se passassem um "Fuga de NY" na escola... Acabei vendo esse filmaço pela 1º vez no SBT (Cobra Plissken é fóda)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha geração foi obrigada a assistir "Cristiane F" no Cine Escola.

      Excluir
    2. Eu tbm tive q assistir esse filme na escola, rs...

      E na época eu tinha a falsa ideia de q seria um filme quase pornô... q nada, era tudo bem discreto e com diálogos arrastados e cansativos. Naquelas alturas, os filmes brasileiros q passavam na TV tbm abordavam a vida decadente de drogas/prostituição de forma BEM mais barra-pesada!

      Abs!

      Excluir
    3. Dei sorte. A primeira vez que assisti "Duro de Matar" foi na escola, na mesma semana que chegou às locadoras. "Viagem Insólita" foi outro. Também vi um tapanakara da Cynhtia Rothrock. Apaixonei pela muié...

      Dos clássicos de escola assisti quase todos: "Meu Mestre, Minha Vida", "A Guerra do Fogo" (o dos homens das cavernas), "Danton" (o da Revolução Francesa), etc.

      Só não vi o "Christiane F". Tinha ficado doente, ainda bem.

      Excluir
    4. Hahahaha... Pior q são sempre as mesmas nabas q exibiam pelas escolas do país inteiro, rs!

      "A Guerra do Fogo" é outro sonífero q fui obrigado a assistir na escola: Lembro q a parte mais divertida era a molecada (eu incluso) imitando as macaquices dos caras e zuando a sessão toda, rs!

      Um dos piores da época tbm foi o "Tuff Turf - O Rebelde" (MICO na carreira do James Spader) q passaram no colégio pra mostrar o mau-exemplo de ser um mau aluno, rs:

      http://www.thebetamaxrundown.com/images/tuffturf_theatricalposter.jpg

      Abs!

      Excluir
    5. Que maneiro SEMI, "A Guerra do Fogo" é um filmaço. Assisti no cinema "poeira" (aqueles do 2 por 1) uma única vez e lembro de praticamente todas as cenas.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    6. Mas que carreira de James Spader? Ser o cara malvado do Karate Kid e a voz de Ultron? rs

      Eu vi Tuff Turf quando moleque e não gostei. Mas na época que eu negociava filmes, uns 5 anos atrás, ele tinha uma boa saída. Acho que se tornou cult. Até me animei a dar uma nova chance.

      Excluir
    7. O James Spader é tipo o Kevin Bacon...

      Ator restolho com carreira irregular q virou cult com o passar do tempo, rs (gosto dos 2, mas q são toscos e canastras, isso são)!

      Abs!

      Excluir
    8. Kevin Bacon inspirou até a teoria dos seis graus de separação. rs

      Excluir
    9. Spader na Academia Cobra Kai... :))

      - - -

      E peraí, Leo... não tem como comparar o Spader ao "onipresente" Bacon...

      Ele fez mais filmes (e ainda faz) do que o americanos comem "seu primo" no café da manha com ovos fritos...

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    10. Vocês conhecem o divertido site:

      http://oracleofbacon.org/movielinks.php

      Nele ao se colocar o nome de qualquer astro de Hollywood, aparece como resultado alguma conexão com o "onipresente Kevin Bacon"

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    11. Hahahaha... Eu lembro qdo esses "graus de separação" do Kevin Bacon vieram à tona (lá nos primórdios da internet, rs)!

      Eu virei fã do ator mesmo qdo ele fez o "Homem Sem Sombra"... pois ele vivenciou da forma mais realista possível coisas q alguém com poderes de invisibilidade ficaria tentado à fazer!

      Abs!

      Excluir
    12. Kevin Bacon é simplesmente um dos memes mais legais que li na internet, porém ficou no esquecimento há tempos, essa saiu do fundo do baú.

      Excluir
  51. "Em relação a Kripta, quando mudou para formatinho, logo nos primeiros números, ficou ilegível. Tinha menos que metade do tamanho dos originais americanos, em formato álbum."


    Oi, Carlos... Tdo bem?

    De fato, fica inconcebível hj em dia imaginarmos uma redução do formatão magazine pro formatinho... A perda de qualidade na arte deve ser brutal!

    Eu queria poder comparar ao vivo uma "Kripta" em formatinho da RGE... Com as ed. da "Cripta" em formato álbum da Mythos (pena q não tenho mais nenhuma da RGE pra comparar)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pega no Guia RGE eles tem todas as edições cadastradas, companheiro.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Opa, valeu mesmo pela dica, VAM...

      Eu sempre consulto o "Guia EBAL" e esqueço q fizeram tbm um da RGE, rs!

      Abs!

      Excluir
  52. "recebi hoje a ed. 37 da coleção DC de Graphic Novels e ela está repleta de páginas pretas. Será que alguém tem alguma explicação para a necessidade de encher o encadernado de páginas pretas?"


    Oi, Carlos... Tdo bem?

    Puxa, q chato isso, hein? Realmente, não é a 1º vez q acontece isso na "Coleção DC" da Eaglemoss... Se não me engano, esse fenômeno das "pág. pretas" já rolou em pelo menos 2 edições anteriores da coleção!

    Te confesso q nem imagino qual a razão disso... Já perguntei pro "X-9" e ele tbm não sabe, já q segundo ele não haveria um nº mínimo de pág pra se cumprir na hora da gráfica fechar um encadernado: O q eliminaria uma das teorias q o pessoal costuma espalhar por aí nas redes sociais!

    Esse mistério das pág pretas (nessa quantidade fora do comum)... é algo q ainda não se tem uma explicação satisfatória!

    E putz... Vc falou e meu deu vontade de ler agora essa "Kripta" com cenas de nudez e canibalismo (essa revista era demais: parecia não ter limites pra nada: até satanismo e magia negra rolava solto, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São as edições que eles não estão seguindo o material da coleção europeia (normalmente as da revista Batman e Superman mas algumas outras como a do Lanterna Verde tb) onde eles alteram o conteúdo mas tem que manter o mesmo numero de páginas por causa da grossura da revista para não comprometer a lombada que segue o padrão gráfico da coleção original alemã... Para não ter edições mais finas e acabar alterando o padrão da lombada eles tacam páginas pretas, poderiam sei lá, colocar umas pin ups de artistas com os personagens do volume, matérias, capas das edições anteriores com a legenda "tb nesta coleção"... mas é mas fácil tacar páginas pretas.
      Cesar Leal

      Excluir
    2. Puxa: Brigadão mesmo, Cesar... Fico te devendo essa, amigo!

      Vc matou a charada então, rs... Faz todo sentido ser esse o motivo das pág pretas: Manter o nº de pág pra não comprometer a arte na lombada!

      Mas vc tem razão tbm qdo diz q poderiam ser mais "criativos" tbm e ocupar melhor esse espaço com coisas mais úteis: Tipo, até mesmo algumas histórias da Era de Ouro e Prata com poucas pág. e pin-ups diversos. Sei lá, qq coisa q fosse menos escrota do q um camalhaço de pág pretas, rs!

      Abs!

      Excluir
    3. Acredito que para colocar qualquer conteúdo que fosse, eles teriam que coçar os bolsos. Fazendo dessa forma, não gastam nada além. Afinal já se garantiram nas assinaturas.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  53. "Minha edição 3 está com várias páginas faltando, que na verdade foram substituídas acidentalmente por páginas repetidas que se encontram no volume. Sera q aconteceu com mais alguém?"


    E aí, Gustavo... blz?

    Nossa, agora vc me fez perder o sono de susto, rs... Comprei o Vol. 3 da "MM do Pérez" só q não tirei do plástico ainda (e deixei a ed. no escritório - só na segunda voltarei lá e poderei conferir se tá com defeito ou não)!

    O problema é q se tiver com defeito tbm... nãos ei como farei pra trocar, já q a loja onde comprei esgotou o estoque! Q zica, hein? Mas valeu pelo aviso!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bem, o meu ao menos li e tá normal.

      Excluir
    2. E agora? Espero não ter sido "sorteado" nessa...

      Abs!

      Excluir
  54. "leo terminou ontem a campanha do ed benes no catarse."


    Putz, perdi essa...

    Até divulguei aqui no blog mês passado, mas esqueci de voltar no Catarse e garantir o meu exemplar! Minha memória tá terrível mesmo (vou tentar conseguir direto com o Benes agora)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  55. Complemento ao post do vamp!
    Realmente não tem como essas coleções capa dura se valorizarem, pois as da marvel já tiveram vários relançamentos + assinatura desde o começo está disponível + venda avulsa na internet de todas as edições. A única que talvez valorize é a star Wars da planeta de Agostini que sumiu do mercado após o término.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, Alexandro...

      A Deagostini sumiu do mercado de HQs depois da "Coleção SW"... Uma pena, já q ela seria uma das mais prováveis editoras pra publicar aquela coleção do "Conan", né?

      Abs!

      Excluir
    2. Talvez essa seja a quietude que antecede a tempestade, que no caso será enviada por CROM!

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    3. Tomara, VAM...

      Q CROM nos mande um dia a mega-coleção da ESC... Seja pela Deagostini ou a editora q for: Queremos essa coleção banhada em sangue, rs!

      Abs!

      Excluir
  56. leo, acha possível publicarem uma edição da crypta só com os trabalhos do bernie (co criador do monstro do pantano)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa... Sim, acho bastante possível sim:

      Aliás, até arrisco dizer q essas coleções da "Cripta" temáticas por autor (q já rolam nos EUA) sejam o próximo passo aqui no Brasil tbm!

      Abs!

      Excluir
    2. Comprei essa edição importada (Creepy BW) junto com o Batman vs Alien e o Omnibus da Tropa Alfa na Amazon. Coisa fina...

      Excluir
    3. Acredito que a turma do PN possa publicar, o próprio Danielzinho fez um video há algum tempo sobre a coleção.

      Até perguntei isso recentemente no Canal deles.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    4. Bem... Acho mais provável q a própria Mythos ou Devir (q já publicam "Cripta" e "Creepy"): Tbm tragam as ed. temáticas por autor pra cá!

      Sei q elas mal dão conta dessas 2 séries... mas tbm não acredito q vão largar o osso tão cedo!

      Abs!

      Excluir
    5. Por coincidência, no mês que passou perguntei pra Devir se dariam sequência à "Creepy". A resposta:

      "Agradecemos seu contato.
      Por enquanto, não há previsão.

      Att.
      Equipe Terramedia"

      Pelo menos já fechei os volumes autorais da Dark Horse (Toth, Corben, Ditko, Wrightson). Um por mês, via Amazão BR mesmo. Recomendabilíssimos.

      Excluir
    6. "Agradecemos seu contato. Por enquanto, não há previsão."


      Tem certeza q não mandou esse e-mail por engano pra Panini?

      Tá igual às respostinhas dos editores da Panini, rs...

      Abs!

      Excluir
    7. Eu arrisco dizer, que devido ao foco restrito e alto valor das edições ela foi descontinuada.

      Por isso que inclusive, perguntei a turma do PN sobre os especiais. Que ao meu ver teriam um apelo muito maior.

      - - -

      Agora, a Mythos pode adotar a mesma prática do Conan da Dark Horse. Após alguns anos do lançamento brochura de Conan O Cimério, vol. 1, o mesmo foi relançado em capa dura e vem tendo uma continuidade meio errática, mas tá saindo.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  57. Saudosismo puro Leo.
    Sou de 1974 e meu primeiro gibi (ou revistinha como era conhecida aqui em Uruguaiana) foi da RGE. EU era bem novo, e não lembro qual era. Mas lembro que foi uma do Homem Aranha e tenho quase certeza de que ela trazia um adesivo emborrachado de brinde, era uma espaçonave. Caso alguém consiga lembrar que edição foi essa, ficarei eternamente grato.
    Na mesma época tive acesso a uma hq do Hulk, aonde tinha parte da saga da Jarela, mas também não recordo da numeração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita... Somos conterrâneos então? Tbm sou de Uruguaiana, rs (só q faz uns 30 anos q não visito minha terra natal)!

      Qto à sua dúvida sobre o tal adesivo... Eu lembro q saiu em mais de uma revista e uma delas era o "Almanaque do Hulk 6" (capa no LINK abaixo):

      https://3.bp.blogspot.com/-rci9QupByIo/V8mQF0RcNDI/AAAAAAAAmac/16tPHZ4lCegJlJxMbzoyvIfBqD7VVmujQCLcB/s1600/Almanaque%2Bdo%2BHulk%2B-%2BRGE%2B%2523%2B06.jpg

      Na época a RGE promovia o lançamento da "Colúmbia" (um ônibus espacial bastante popular no início dos anos 80)! A nave tbm inspirou o jogo de fliperama: "Xevious"!

      Abs!

      Excluir
    2. Que coisa é o tempo. Lembro bem dessa popularidade da Columbia. A nave se desintegrou ao reentrar na atmosfera matando todo mundo, acho que em 2002. Foi a pá de cal no programa do ônibus espacial americano...

      Excluir
    3. Opa" Falando em adesivo eu tinha um do Bill Bixby virando o Ferrigno, não lembro de onde ele veio. Acho que de alguma revista poster da época.

      Era essa foto montagem aqui:

      https://conteudo.imguol.com.br/c/bol/fotos/2015/05/22/20-o-incrivel-hulk-1432318668416_785x700.jpg

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    4. "A nave se desintegrou ao reentrar na atmosfera matando todo mundo"


      Nossa, Sherlock... Eu não lembrava desse final tão trágico pra Colúmbia: A minha memória só guardou aquelas boas lembranças do passado, onde a gente acreditava (de forma ingênua e inocente) q a Colúmbia um dia nos levaria pra viajar pelo espaço como se fosse num passeio turístico (era essa a ideia q passavam pra molecada dos anos 80, rs)!

      Abs!

      Excluir
    5. "Falando em adesivo eu tinha um do Bill Bixby virando o Ferrigno"


      Bah... Desse eu me lembro, VAM:

      Tbm tive esse adesivo e achava massa pra caramba... Só não me recordo em q revista havia saído! Q saudades desse tipo de brinde, hein?

      Abs!

      Excluir
    6. Legal LEO. Desconhecia que você era daqui da terrinha. Tem de aparecer para uma visita, um café, um bom papo.
      Então, é possível que o adesivo tenha vindo nesta edição do Hulk ao invés da do Homem Aranha, principalmente se nesta edição estiver a história da saga da Jarela. Vou procurar depois no Guia dos Quadrinhos.
      Um forte abraço.

      Excluir
    7. Se eu não estiver enganado, ele tinha até um relevo, meio que emborrachado...

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    8. Um dia desses eu dou uma de "Roque Santeiro" e volto pra visitar minha terra natal depois de décadas, rs (ainda tenho parentes morando em Uruguaiana)!

      Qto ao relevo... era meio emborrachado sim: Lembro, pq colei a "colúmbia" no vidro da janela do quarto!

      Abs!

      Excluir
    9. Eu conheci o arcade de Xevious como "Columbia". Algumas máquinas tinham a rom com esse nome.

      Excluir
    10. Eu tbm, SEMI...

      Até hj eu chamo o jogo de "Colúmbia" (tenho ele no PS2: numa coletânea de clássicos de fliperama)!

      Abs!

      Excluir
  58. Que coincidência que o outro falou sobre a Mulher Maravilha do Pérez, porque eu ia comentar ainda ontem, mas como tive prova na faculdade hoje e precisei dormir cedo, não deu tempo.

    Comparando os deuses gregos na Marvel e na DC, os da DC são muito bem representados, enquanto os da Marvel ficaram meio sem graça. Tem umas diferenças básicas, tipo, na Marvel a Rainha Hera e a Hipólita são vilãs ( uma tenta matar o Hércules por ele ser fruto de uma traição de Zeus e a outra tem uma relação de amor e ódio com o Hércules por ela ter sido rejeitada por ele, rsrs ), as roupas que os deuses gregos principais vestem são bizarras e ridículas ( a "menos ruim" é a do Hércules e a das poucas deusas que aparecem ), e o Hércules que é o personagem principal da mitologia grega na Marvel é um beberrão e perde a paciência e cria confusão com facilidade. Já o da DC eu adorei as 14 primeiras edições da Mulher Maravilha do Pérez, e apesar do final cliché, o decorrer da história valeu a pena, e em minha opinião, acho melhor até que o Thor do Kirby. Sou marvete, mas se tem um personagem que adoro é o Lanterna Verde da DC ( meu herói preferido e em seguido o Dr Estranho ) e a Mulher Maravilha do Pérez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, blz?

      Sabe, eu tbm sempre achei o "Hércules" da Marvel um personagem mal-explorado pela editora... Ele tinha potencial pra ser um herói principal numa revista própria e fazer tanto sucesso qto outros heróis da editora. Mas acabou sendo aproveitado mais como vilão/coadjuvante em HQs do "Thor" e em equipes falidas tipo: "Os Campeões"!

      A Marvel fez um "Hércules" com pouco (ou nenhum) carisma pra segurar uma revista própria... Sendo assim, posso dizer q até prefiro a versão da DC tbm: com um "Hércules" mais vilanesco (e inimigo da MM)!

      Gostei mto da "MM do Pérez"... E vamos torcer agora por um Vol. 4 (q dependeria das vendas dos 3 primeiros) pra fechar a fase em q o Pérez tbm desenha!

      Abs!

      Excluir
    2. Leo, você realmente leu todo o conteúdo do segundo encadernado ?

      [ Segue-se spoiler caso não tenha lido ] O Hércules, assim como Zeus, se redimem de seus erros passados e pedem desculpa [ Fim de Spoiler ]

      O "Hércules" ( eles chamam certamente de Herácles ) da DC é um personagem interessante sim, e seu lado mais "vilanesco" se resume só àquele capítulo 1, já aquele Hércules da Marvel é um personagem previsível e chato, e não sei como dizem que ele inspirou o "Hércules" da Disney, pois talvez sua inspiração deva se resumir só à forma do nome, já que não usaram o original Herácles.

      O Hércules da Marvel é tão chato que nem nas histórias do Thor escritas pelo Jack Kirby ele sai bem, e credo, a adaptação da mitologia grega pelo Kirby acho que foi uma de suas poucas falhas na carreira ( sim, até a adaptação que a Marvel fez dos deuses egípcios ficou melhor ).

      Quanto a "MM do Pérez"... eu parei no Vol 2, porque a partir do 3 é aquele romance chato Mulher Maravilha - Superman, por isso já agradeço que eles tenham lançado aqueles 2 primeiros. Mal ai, mas é simplesmente gosto, apesar de tudo, muito escritores desandam com o tempo, mas a fase dele não deixa de ser espetacular.

      Excluir
    3. Estranhamente, essa fase Pérez se assemelha muito a fase Chris Claremont nos X-Men, a diferença é que por mais boa que seja a "MM", ele não é os X-Men para que esse tipo de roteiro fisgue por muito tempo.

      Excluir
    4. Por título de curiosidade, a Marvel já colocou deuses de diversas mitologias em suas histórias, mas em minha opinião nenhuma se comparou a forma que a DC retratou os deuses gregos, e a Marvel até mesmo tentou "mudar o visual" dos deuses gregos para ficar mais aceitável, mas não adiantou. As representações de Poseidon e Zeus que a DC fez ( inclusive aquele efeito de surgir seus "rostos" em meio a água ou da nuvens foi simplesmente monumental, nunca para de me impressionar quando vejo ). Abaixo deixo um link mostrando as adaptações de mitologia feito pela Marvel.

      http://legiaodosherois.uol.com.br/lista/mitologia-no-universo-marvel.html/1

      Excluir
    5. "Leo, você realmente leu todo o conteúdo do segundo encadernado ?"


      E aí... blz?

      Sim, o Vol. 2 da "MM do Pérez" eu li inteiro (só não li o 3º ainda)... Mas acho q se redimir e pedir desculpas depois de ter violentado a Hipólita não é algo q torne o "Hércules" (ou "Héracles") menos vilanesco e mau-caráter: O crime foi cometido de qq forma!

      Seja como for, concordo plenamente com vc: Tbm sou marvetinho, mas reconheço q a DC fez um trabalho bem superior à Marvel na retratação dos deuses gregos!

      O romance do "Super" com a "MM" parece ter rendido diálogos contrangedores pro super, hein? Pelo menos foi o q eu vi um cara postar no face: Uma cena do "Super" admitindo q é "apenas um menino do Kansas" e q a MM é "mta areia pro caminhãozinho" dele, hahaha (q bola fora do super)!

      Ah, e obrigado pelo LINK acima... Mto boa a matéria desse site sobre a mitologia na Marvel (belo trabalho de pesquisa)!

      Abs!

      Excluir
    6. Tem de levar em conta que aquilo havia ocorrido há séculos ( literalmente ), o Herácles foi punido transformado em uma rocha quente também por séculos, ele salvou as amazonas e ajudou no "processo de paz". Isso não faz com que o Herácles tenha deixado de ter sido um estuprador, mas isso o torna sim menos vilanesco e mal-caráter ( faço Direito, acredito na reabilitação de pessoas ).

      Como falei, em retratação da mitologia, achei o trabalho em "MM" melhor até do que o em Thor, então imagina o quanto de crédito eu dou. E só para ter ideia, sou o tipo de marvetinho que não dá nem bola para os super-eventos e crossovers da DC, só curto títulos e fases específicas da editora, com foco nas HQs do Moore, linha Vertigo e as fases clássicas da "MM" e do Lanterna ( ambos pré-anos 90 ).

      O romance "Super"-"MM" foi a mornada da fase Pérez, e sério, destoa bastante da boa fase da personagem e em minha opinião começa a derrocada, até porque o interessante era a situação das amazonas como guerreiras, os deuses como egocêntricos, e tudo isso praticamente se esgotou com o desfecho do 2º encadernado.

      Sobre o link, de nada. Isso é só pra mostrar o quanto a Marvel se esforçou tentando adaptar as mais diversas mitologias, mas só uma vingou.

      Excluir
    7. Sabe, a gente tá falando sobre o "Hércules"... e de repente, me lembrei q ainda não assisti aquele filme novo com o "The Rock": Já incluí na minha lista pra ver se consigo conferir (me falaram bem desse filme)!

      No "Thor" (fase Kirby) o Hércules serviu mais pra ser um "adversário com nível de força pau-a-pau" com o Deus do Trovão... não teve maiores desenvolvimentos, apenas jogaram ele pra sair na porrada e pronto!

      Abs!

      Excluir
    8. Só convergindo os assuntos, façamos uma menção honrosa para aquele filme do Hércules/Lou Ferrigno que passava de 10 em 10 minutos no SBT. A cena em que ele luta com um urso e cria uma CONSTELAÇÃO com ele é crássica...

      https://www.youtube.com/watch?v=GOJoLaxokzM

      Excluir
    9. Hahahaha... O "Hércules" jogando um urso pro espaço e criando a "Ursa Maior": é realmente um CLÁSSICO a ser relembrado pelas próximas gerações, rs!

      Abs!

      Excluir
    10. Eu lembro disso. Essa transformação só não ficou melhor por conta dos "defeitos especiais", pois o conceito é espetacular.

      Vocês sabem que fizeram dois filmes né?

      Hércules 87 e As Aventuras de Hércules;

      E tem também "Os Sete Magníficos Gladiadores", esse é inesquecível por conta da talentosa Sybil Danning...

      http://iv1.lisimg.com/image/6884022/740full-sybil-danning.jpg

      Que por sinal também abrilhantou outro clássico do SBT - "Mercenários das Galáxias"...

      https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/18/50/4a/18504a38e9d6bcce25202e527898a61c.jpg

      Dizem que ela foi inspiração pra She-Ra...

      http://wrongsideoftheart.com/wp-content/gallery/stills/battle_beyond_stars_color_02.jpg

      Alguém tem dúvida?

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    11. E aí, VAM... blz?

      Boas lembranças das trasheiras oitentistas, rs... A Sybil Danning era a "comissão de frente" (siliconada) das rainhas dos filmes B. Mas me recordo mais dela virando uma "mulher-lobisomem" em "Grito de Horror 2"!

      Não sabia dessa sequência do "Hércules"... puxa, será q passou na TV aberta? Nunca ouvi falar mesmo!

      E não duvido dessa inspiração pra "She-Ra": tá bem parecida mesmo!

      Abs!

      Excluir
    12. A História de Ricky é um clássico da trasheira e simplesmente não consigo deixar de adorar ( http://www.getro.com.br/2014/10/piores-filmes-rick-oh/#.WTqzNF9tky4 ), saca só esse filme. Adora alguns filmes desse cinema trash antigo, e realmente vários heróis da literatura foram "vitimas" dessas trasheiras, mas fazer o que ? Queremos violência, gore e escrotice, rsrs.

      Excluir
    13. Opa... Brigadão mesmo pela dica:

      Eu já conhecia algumas cenas trash desse "Ricky" (q circulam há anos pela internet) mas não sabia o nome do filme... Graças à sua ajuda agora, finalmente já mandei pra baixar no torrent, rs! Valeu mesmo!

      Ah, eu adoro essas porcarias trash... e dias desses eu vi de novo tbm o "Machete Mata" (bela homenagem ao estilo, hehe)!

      Abs!

      Excluir
    14. De nada. Esse filme é um dos meus maiores "Guilty Pleasures" ( literalmente, porque me sinto tão receoso de gostar dessa trasheira que para recomendar só anonimamente pela internet ) que tenho, e o mais bizarro é que é tanto exagero que você nem entende a história do filme ( o cara é um homem de classe média que vai pra prisão propositalmente para "fazer a limpa" na corrupção por lá, mas duvido que você só assistindo o filme ia entender isso, se nem mesmo eu havia entendido, rsrs ).

      Excluir
    15. A história de Ricky eu conheci por esse post:
      http://blogdohammer.blogspot.com.br/2008/01/riki-oh-histria-de-ricky-parte-um.html

      Pra mim foi suficiente. rs

      Excluir
    16. Hahaha... Q matéria fóda a desse blog, rs:

      O cara conseguiu screens de quase todas as cenas do filme e ainda narrou uma por uma (show de bola - eu não teria essa paciência, rs)! Mas sabe, lendo o post do LINK acima, me deu ainda mais vontade de assistir esse filme (eu consegui baixar, mas ainda não fui atrás da legenda)!

      Abs

      Excluir
    17. O Blog do Amer já teve seus momentos. rs

      Excluir
  59. Renato França03/06/2017 04:08

    Já pensou em criar uma HQ autobiográfica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu?

      Nunca... é preciso ter uma vida interessante pra isso, rs! E a minha vida é bastante "normal" (trabalho, casamento, leituras de gibi, chopp com os amigos, atualizar o blog, e SÓ: Tá ótimo pra mim, mas não vai além disso)!

      Abs!

      Excluir
    2. Hahaha... Eu já ia perguntar se "esse cara tá vivo ainda"?

      Mas pesquisei antes de digitar o comentário e descobri q o Harvey já morreu (em 2010): Achei mto chato/arrastado aquele filme sobre a vida dele (e não leria o gibi: "American Splendor")... Se bobear, a minha vida ainda é mais "chata" do q foi a dele: Só amanhã, por exemplo, passarei mais de 8 horas numa reunião de negócios: Nem imagino quem teria saco pra ler uma adaptação disso em gibi? rs!

      Abs!

      Excluir
    3. Os balões de pensamento estão aí pra isso mesmo!

      Excluir
    4. Mas aí os balões seriam só palavrões e baixarias, rs...

      Abs!

      Excluir
    5. Anti-Herói Americano é um filme chato pra caralho!

      Excluir
    6. Tbm achei... É difícil um filme não ser chato com um protagonista igualmente chato e sem carisma (q vidinha desinteressante, pelamor)!

      Abs!

      Excluir
    7. Esse filme não me fez aguentar nem meia hora que já me fez abandonar. A pergunta é : como alguém pode gostar disso ?

      Excluir
  60. Se o assunto era gibi, eu tava dentro, pois era um viciado irrecuperável. Conheci muita coisa em quadrinhos -inimagináveis nos dias de hoje (Speed Racer, O Gordo e o Magro, Jornada nas Estrelas, Sobrinhos do Capitão). Já tive o n°1 do O Pato Donald (que na época, mesmo sendo um moleque que só fazia merda, eu já sabia que era uma raridade). Curtia o "Kung Fu", da Ebal, pois também era/sou viciado em Artes Marciais; mas as capas dessa revista eram melhores que o conteúdo. No tocante a RGE, já pude ler as estranhas histórias da Bolota,da Brotoeja e da Tininha. Sim, aquilo tinha revista própria! Mas o legal mesmo eram o Mandrake,o Fantasma e o Zero. Deixei a RGE de lado quando ela mudou a cor do uniforme do Fantasma e mudou de nome, passando a se chamar Globo. Um dos maiores desgostos que tive na vida.
    Apesar de me amarrar nos gibis da Bloch e todos aqueles superheróis capitaneados pelo Homem Aranha em porradarias monumentais e clássicas, o Fantasma sempre foi o meu personagem preferido. Até hoje busco tudo que foi feito pela dupla Lee/Barry antes do casamento do Espírito que Anda, com alguma concessão para o McCoy (Ray Moore não fez muito o meu gênero). Li, releio e relerei sempre essas aventuras com o mesmo prazer. A Pixel vem publicando histórias do Fantasma, mas de uma forma tão irregular que chega a ser deprimente. Aliás, após lançar o primeiro volume de Flash Gordon e do Príncipe Valente, a Pixel nos assombra com uma sinistra questão: haverá sequer a publicação do segundo volume ou a coisa já morreu por aí e foi feita apenas para nos fazer de palhaços ? Triste que, neste país, até as iniciativas que parecem possuir um diferencial de qualidade acabem na vala comum do descaso e do desrespeito com o leitor. Pelo menos a Panini nos brinda com a republicação do Lobo Solitário (que agora poderei conhecer).
    Foi-se a RGE, algumas editoras fazem questão de ir (caso da Pixel), mas para quem é apaixonado por gibis, essa paixão nunca acaba (e algumas sábias editoras já sacaram isso).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Antonio... Tdo bem?

      Eu compartilho do seu relato, amigo... e continuo sendo um viciado irrecuperável em se tratando de HQs, rs!

      Da mesma forma q vc, tbm sou um adepto do gênero das "artes marciais" (seja em HQs ou Filmes) e tenho um VASTO acervo de filmes de Kung-Fu (seguramente mais de 200 - originais ou gravados em DVD). Até hj sou fanzaço do seriado de TV com o David Carradine (q inspirou essa revista do "Kung Fu"). Como dizia o mestre: "Sempre há uma nova lição pra ser aprendida, Gafanhoto", rs!

      No mais... Eu tbm queria ver o "Fantasma" nas mãos de uma editora mais dedicada hj em dia... O ritmo da Pixel tá lento demais e preocupante tbm, pois a demora gera um inegável clima de desconfiança e receio de cancelamentos (ainda mais q a Pixel já tem um histórico de abandonar tudo sem dó nem piedade se preciso for)!

      Seja como for, tem um "Flash Gordon 2" já cadastrado no ISBN... e a promessa de um "Príncipe Valente 2" (mas sem registro oficial por enquanto)! Torço pra todas essas séries tenham continuidade e q essa demora pra novos lançamentos seja apenas temporária (devido à crise econômica)! Mas é impossível não ficar com o pé atrás, né?

      Abs!

      Excluir
    2. Olá, Leo !
      Satisfação ter conhecido seu blog, que agora acompanharei sempre, dado a qualidade do material e das informações publicadas aqui.
      Bacana mesmo saber que vc também é fã de Artes Marciais e que possui uma vasta coleção de filmes do gênero "Kung Fu". Isso me fez lembrar de uma matéria em um número da extinta revista DÔ (publicada pela Ebal) sobre um leitor que tinha assistido a mais de 300 filmes de Kung Fu! Eu já morei praticamente ao lado da Ebal e sempre que minha mãe me dava uma grana, eu corria pra aquele mundo incrível. Logo na entrada, a gente se deparava com um grande viveiro onde era possível observar um casal de tucanos magníficos. Havia também uma lojinha anexa ao prédio principal onde todas aquelas publicações que se tornariam raridades ficavam expostas à venda. Tinha tudo lá! Isso foi no início da década de 80. No meu aniversário, eu comprei a coleção completa do Kung Fu. Fiquei extasiado. Posteriormente, a revista DÔ, que era especializada em Artes Marciais de todos os tipos viria a se chamar DÔ/Kung Fu pois acabou havendo uma fusão entre as duas publicações. Um pouco depois, tudo isso acabou. Era o fim da Editora Brasil-América e o próprio fim de uma Era. Em minha ingenuidade de moleque, eu achava que aquilo fosse durar para sempre, algo como as dublagens que se perderam e nunca mais voltarão.
      Dos filmes de Kung Fu, tenho, entre outros, Os 18 Homens de Bronze 1 e 2 (com o grande Carter Wong) e o The Ghostly Face, de 1972, com a linda atriz Polly Chang Kwan - com quem tive a grata oportunidade de me corresponder por uns tempos (houve um ano em que eu assisti este filme TODOS os dias).
      Só lamento ter me desfeito da revista em que aquele leitor nomeava cada um dos títulos dos filmes que assistiu (tinha coisas como "O Valente Arqueiro Shaolin" e "Bruce Lee Contra a Luta da Serpente"); verdadeiros Clássicos, com seu título correspondente em inglês. Com a falência da Condor Filmes, fica muito difícil resgatar essas coisas só com o título em português.
      Valeu, Leo,meu amigo. Parabéns pelo Blog e tudo de bom !
      Forte abraço!

      Excluir
    3. Valeu mesmo, Antonio... Seja sempre bem-vindo aqui no "Submundo" e participe mais vezes, amigo (foi ótimo o papo acima e até anotei esses filmes de artes marciais q vc citou - e q eu não me lembro de ter visto, rs)!

      Eu já fui dono de locadora... e vivia buscando filmes de Kung-Fu obscuros de distribuidoras pequenas pra tê-los como diferencial pros clientes da loja. A maioria das locadoras tinham sempre os mesmos filmes manjados de sempre, mas a minha se diferenciava por ter as raridades q ninguém mais tinha!

      Nem imagino qtos filmes de Kung-Fu eu já tenha visto... mas se eu tenho mais de 200 em DVD, é sinal de q vi mto mais do q isso: Já q seleciono apenas os meus favoritos, hehe (se eu acho o filme mto ruim, eu descarto na hora)!

      Um dos q eu mais gosto é "O Mestre da Guilhotina Voadora"... Pois acredito q ele tenha inspirado alguns personagens de "Street Fighter" (no filme tem um indiano q estica os braços igual ao "Dhalsim", rs)!

      E puxa, gostei mto desse seu relato sobre a EBAL... eu queria ter tido essa chance tbm de ter acesso ao acervo da editora em sua reta final!

      Abs!

      Excluir
  61. RGE pra mim sempre foi sinônimo de Recruta Zero. Passei batido pela fase dos supers.

    Mas já na década de 90, tendo resgatado tudo que a Abril publicou dos XIS-Mein em sebos e bancas de revistas usadas, me deparo com esses almanaques 7 e 8 do H̶u̶l̶k̶ X-Men. O velhinho ainda fez jogo duro revelando que as edições tavam reservadas, mas que o cara ficou de voltar dois dias antes e não tinha mais dado notícia.

    Lembro que paguei relativamente caro, mas valeu a pena. Durante muito tempo foram meu Santo Graal. Só não tinha a edição 9 e só fui ver o Banshee perdendo os poderes no P&B da Mythos já na virada do milênio. Menos mal que o arco da Tropa Alfa saiu em um Marvel Especial da vida.

    Pra você ver... Apenas duas edições foram suficientes para tornar a RGE marcante para mim!

    PS: Quatro Fantásticos > Quarteto Fantástico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, SEMI... Nunca escondi q até hj um dos meus personagens favoritos de HQs é o "Recruta Zero": E aprendi a ser fanzaço dele através dos almanacões da RGE!

      Eu tive 2 dos 3 "Almanaques do Hulk" estrelados pelos XM (perdi só o 9)... só q isso foi na época, e depois q voltei a colecionar gibis (na 2º metade dos anos 90) nunca mais encontrei essas almanaques por preços justos: E me recuso a pagar caro por qq formatinho q seja (e todo scalper sempre tenta faturar o máximo com essas raridades dos XM)!

      Ainda bem q hj em dia já republicaram todo o material desses almanaques mutantes...

      Abs!

      Excluir
    2. Da RGE meus favoritos eram Zero e Fantasma também. Os Almanaques do Zero tinham todos histórias longas (em vários capítulos) muito boas feitas no Brasil!

      Infelizmente esse material provavelmente está perdido para sempre...

      Excluir
    3. Pois é, Hunter... Infelizmente, tem coisas q sabemos q NUNCA mais iremos rever nas bancas (a não ser - com sorte - em sebos):

      O material nacional do "Recruta Zero" (q supria a demanda dos almanacões), o material (tbm de almanaques) do "Fantasma" da RGE... e as HQs clássicas dos "Trapalhões" (q hj em dia iriam render uma choradeira e tanto pelas incorreções políticas, rs)!

      Abs!

      Excluir
    4. O material do Fantasma está todo disponível na Suécia (que é fissurada pelo personagem!), mas cadê editora para publicar isso em português?

      Excluir
    5. Bom saber, Hunter... q pelo menos em algum lugar do mundo ainda se venera o "Fantasma", rs!

      Aqui no Brasil, vai ser difícil engrenar de novo o personagem... A Pixel eu acho q (infelizmente) não vai dar conta do recado: não nesse ritmo de 1 encadernadinho por ano (e ainda "na geladeira" durante todo este ano pelo visto)!

      Abs!

      Excluir
  62. "...sempre foi um evento fraquíssimo pra compra de HQs (q é o q mais me interessa)!"

    Mais um motivo então pra ser realizado o...

    "1º TUTATIS & SUBMUNDO HQ CONVIDAM"

    sendo você o mediador de uma palestra da Marvel, companheiro.

    Com uma Pocket-Expo de Miniaturas Marvel.

    Uma bela forma de fomentar a ida até a ComicShop.

    E de quebra um pequeno stand do teu curso pré-vestibular, com material de divulgação, com tua secretária bonita dando informações...

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá com poderes mentais agora, VAM?

      Q perigo isso, rs... Se conseguir descobrir os números da mega-sena tbm, por favor: me avise pra gente rachar o prêmio, hehe!

      Abs!

      Excluir
  63. "Tá com poderes mentais agora, VAM?"

    Sempre tive... mas ainda não consegui ficar rico com eles :((

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o q eu sempre falo pra minha mulher, VAM:

      De q adianta ir à cartomantes e videntes pra saber o nosso futuro? Se eles realmente vissem o futuro, já teriam ganhado repetidas vezes na mega-sena e não precisariam cobrar 50 pila pra ler o futuro dos outros, rs!

      Abs!

      Excluir
    2. O que me impressiona é o fato de eu não ter pensado nessa até hoje. E o pior é que tem umas obras envolvendo viagem no tempo que o pessoal volta ao tempo em que era adolescente e nem mesmo pensa em passar os números da loteria para sí mesmo, rsrs.

      Excluir
    3. Pois sabe, se eu tivesse 1 única chance de viajar no tempo... eu escolheria algumas semanas no futuro e iria direto pra internet pra catar os números da mega-sena (ou outra premiação q sorteasse milhões numa tacada só): e voltaria pro meu tempo pra apostar esses números, rs!

      Não tenho mto interesse em ver um futuro tão distante (até pra não sofrer uma desilusão caso me depare com um futuro pós-apocalíptico estilo "Mad Max")... E nem um passado tão longínquo (a não ser q fosse pra comprar umas raridades de gibis, hehe)!

      Abs!

      Excluir
    4. Nisso somos iguais, eu não faria diferente, rsrs.

      Excluir
  64. "Não tenho mto interesse em ver um futuro tão distante (até pra não sofrer uma desilusão caso me depare com um futuro pós-apocalíptico estilo "Mad Max")... E nem um passado tão longínquo (a não ser q fosse pra comprar umas raridades de gibis, hehe)!"

    Já pensou viajar ao passado, comprar pilhas de gibis da EBAL, RGE... tipo 15 unidades de cada Almanaque Premiere e Super-Heróis Marvel, cheirando a gráfica ainda... e quando volta ao presente o mundo está pós-apocalíptico? E só devolvendo as revistas que ele volta ao normal?

    Que puta falta de sacanagem, hein.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior, hahaha...

      Vá q eu mudasse o rumo da nossa linha temporal só por comprar gibis no passado, rs... Imagina, com 15 unidades de cada gibi desses da RGE a editora poderia considerar as vendas favoráveis e faria de tudo pra não sair do mercado: Se bobear, qdo eu voltasse pro presente a RGE ainda estaria dividindo a Marvel com a Abril e a Panini venderia só figurinhas de futebol, rs!

      Abs!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...